top of page

Florença

Florença, na Toscana, com a majestosa cúpula de Brunelleschi, o magnífico David de Michelangelo, as ruas de paralelepípedos e os aromas sedutores das trattorias, é um tesouro de arte renascentista. Cada esquina é um mergulho na história e na beleza desta cidade encantadora.

Florença, na época medieval e na linguagem poética também chamada Fiorenza, é uma cidade italiana com 362.247 habitantes. Capital da Toscana e da homônima cidade metropolitana, é o município mais populoso da região e o centro da área metropolitana de Florença-Prato-Pistoia. Na Idade Média foi um centro crucial de arte, cultura, comércio, política, economia e finanças. Na era moderna desempenhou o papel de capital do Grão-Ducado da Toscana de 1569 a 1859, tornando-se, sob o governo das famílias Medici e Lorena, um dos estados mais ricos e modernos da Itália. As várias vicissitudes políticas, o poder financeiro e comercial e as influências em todos os campos da cultura fizeram da cidade um ponto fundamental na história italiana e europeia.

 

Em 1865, Florença foi proclamada a capital do Reino da Itália (a segunda, após Turim), mantendo esse status até 1871, ano que marca o fim do Risorgimento e a transferência do protagonismo para Roma. Como importante centro universitário e Patrimônio Mundial da UNESCO (o centro histórico desde 1982), é considerada o berço do Renascimento – a consciência de uma nova era moderna após a Idade Média, um período de mudança e "renascimento" cultural e científico – e da língua italiana, graças ao vernáculo florentino usado na literatura.

 

Em 1986, foi nomeada Cidade Europeia da Cultura. É universalmente reconhecida como uma das capitais mundiais da arte e da arquitetura, além de ser um destino turístico internacional muito visitado, graças aos seus numerosos monumentos e museus. De valor inestimável são os legados artísticos, literários e científicos de alguns de seus cidadãos ilustres, verdadeiros gênios do passado, como Dante, Petrarca e Boccaccio na literatura; Giotto, Brunelleschi, Donatello, Botticelli, Leonardo da Vinci e Michelangelo nas artes visuais; Lorenzo de' Medici e Maquiavel nas ciências políticas; Amerigo Vespucci e Galileo Galilei nas ciências geográficas, astronômicas e físicas.

Destaques

bottom of page